Faccat Internacional
Página inical
Apresentação
Histórico
O que é Faccat Internacional
A Importância da internacionalização
Pensemos globalmente
Cooperação universitária
Competências para o mercado de trabalho multicultural, global e internacional
Ambiente universitário multicultural
O que é mobilidade acadêmica?
Mobilidade Incoming ou Outgoing?
Por que fazer mobilidade acadêmica?
Mobilidade acadêmica não é estágio ou intercâmbio no exterior
O que o programa de mobilidade acadêmica me oferece?
Quem pode participar do programa de mobilidade?
Como fazer Mobilidade Acadêmica?
Como faço para candidatar-me à Mobilidade Acadêmica?
Universidades parceiras conveniadas
Núcleo Faccat Internacional
PÁGINA DE INICIO

Faccat Internacional

Nossas portas abertas ao mundo.

Desde seus primórdios, a cooperação tem sido essencial na educação, graças a ela, a pesquisa, o ensino e a comunidade têm se retroalimentado permanentemente e, assim, permitiu que avançássemos de tal forma que esses mesmos laços cooperativos estreitaram e conectaram praticamente todas as pessoas de todas as partes do mundo.


Atualmente, compartilhamos praticamente tudo, nem mesmo precisamos estar juntos presencialmente para trabalharmos e aprendermos cooperativamente, as metodologias ativas de educação, ensino híbrido, webinars, podcasts, salas virtuais, plataformas online, novas ferramentas de transmissão de conteúdo, conteúdos gratuitos, a gamificação, etc. nos transformaram em uma comunidade internacional.


A internacionalização da Faccat se insere neste processo com um programa que visa preparar seu corpo docente, discente e colaboradores para atuarem neste novo ambiente irreversível cada vez mais internacional e culturalmente relevante e diversificado. Faça parte disso! Aproveite as portas abertas ao mundo que a Faccat oferece.

Histórico

As Faculdades Integradas de Taquara (Faccat) foram oficialmente constituídas em 7 de novembro de 2007, no entanto, a origem da Faccat data de 31 de dezembro de 1969, quando foi instituída a Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste (FEEIN), uma entidade sem fins lucrativos, pelos prefeitos das cidades de Taquara, Rolante, Igrejinha, Três Coroas e São Francisco de Paula.

Atualmente a Faccat conta com os seguintes cursos:
Bacharelado Administração
Bacharelado Ciências Contábeis
Bacharelado Comunicação Social
Bacharelado Comunicação Social - Relações Públicas
Bacharelado Design
Bacharelado Direito
Bacharelado Enfermagem
Bacharelado Engenharia de Produção
Bacharelado Psicologia
Bacharelado Publicidade e Propaganda
Bacharelado Sistemas de Informação
Bacharelado Turismo
Licenciatura História
Licenciatura Letras
Licenciatura Matemática
Licenciatura Pedagogia
Tecnológico Gestão Comercial
Tecnológico Gestão da Qualidade
Tecnológico Jogos Digitais
Tecnológico Sistemas para Internet
Mestrado Acadêmico Desenvolvimento Regional

O que é Faccat Internacional

O século XXI, embora já se previsse um século dinâmico, acreditamos que que esteja superando as projeções, algumas das profissões que mais empregaram nos últimos anos, ninguém imaginava que pudessem vir a surgir a 10 anos atrás, transnacionais que nem suspeitávamos que existissem agora aparecem em todas as partes do mundo atrás de novos mercados, com novos idiomas, práticas, visões, costumes, etc.  Se antes tínhamos a sala de aula como o recurso e espaço mais usado para aprendizagem, hoje temos os classroom, podcasts, webinar e inúmeras plataformas de aprendizagem e transmissão de conteúdo. Se antes só conseguíamos estudar nas instituições nacionais e mais próximas, atualmente, todas as universidades do mundo aderem ao intercâmbio de docentes, discentes, colaboradores, pesquisa e ensino. Sem mencionar que agregar à sua trajetória estudantil a passagem por alguma de ensino estrangeira realmente agrega um diferencial a seu CV e Lattes.

Há um tempo atrás, inovação, empreendedorismo, sustentabilidade nem eram palavras familiares, no entanto, atualmente elas acompanham todas as áreas, em todo o mundo. Não há mais lugar para o isolacionismo, hoje se faz necessário uma indústria, comércio, ciência e tecnologia adequadas a cada ecossistema, as soluções encontradas para as diversas demandas das diferentes sociedades só podem ser encontradas localmente. Resumidamente, a internacionalização se impôs como algo inevitável e necessário.

A importância da internacionalização

O mundo está buscando e precisando de pessoas que possam trabalhar, se relacionar e viver um mundo globalizado, a empresa que contrata alguém em Nova Iorque, pode precisar dessa pessoa em Tóquio, ao mesmo tempo, pode haver japoneses que trabalhem home office em Tóquio para empresas brasileiras que são subsidiárias da empresa de Nova Iorque. Resumidamente, a ciência, a tecnologia, enfim, o mundo se internacionalizou, o século XXI precisa de pessoas, de qualquer país ou região, com habilidades e competências que possam acompanhar este dinamismo e interconexão. O crescimento do número de empresas transnacionais vem contribuindo, de forma crescente, para o aumento dessa procura, sempre na perspectiva de um novo perfil de profissional qualificado para atuar em projetos de âmbito global.

A Faccat, alinhada a esta compreensão da realidade global, e orientada pela sua visão e missão acompanha este cenário, norteia suas ações para formar profissionais com competências multiculturais e pensamento global brasileiros e estrangeiros. Para alcançar estes objetivos a Faccat está promovendo um programa que visa estimular a:
a)    Mobilidade acadêmica discente nas modalidades in e out;
b)    Ampliação do programa de convênios de intercâmbio, principalmente com países hispano-americanos;
c)    A elaboração de projetos transversais entre professores de diferentes áreas, entre instituições locais, nacionais e estrangeiras em parcerias bi/tri/multilaterais.

Pensemos globalmente

O mundo, embora possa parecer, não é simplesmente a somatória de todas as nações, povos e seus ecossistemas, o mundo é um sistema complexo que vai além desta somatória. Todas as nações, povos e ecossistemas interagem constante, imperceptível e irreversivelmente entre si. Uma descoberta científica num laboratório governamental de uma cidadezinha longínqua da Dinamarca pode salvar milhões de pessoas em países e aldeias isoladas da África, a união econômica estratégica e promissora de algumas nações em algum continente pode alterar toda a economia mundial, enfim, o mundo é uma rede complexa de interações multiculturais, sociais e econômicas em constantes mudanças.

E o que isso tem a ver com a gente? Tudo!  

O crescimento da Faccat está estreitamente ligado às ações orientadas para que todo o conhecimento gerado no mundo possa ser compartilhado de alguma forma entre seu corpo docente, discente e colaboradores, ao mesmo tempo, que está constantemente expandindo a instituição para além das fronteiras do Brasil em constantes assinaturas de convênios instituições de ensino superior estrangeira, organização ou participação em  eventos internacionais, compartilhamento de pesquisas com pesquisadores estrangeiros, publicação em revistas internacionais. A Faccat está decididamente orientada a estreitar os laços com outras nações, a partilhar a diversidade cultural e pensar globalmente.

Assim como a Faccat, quando planejamos nossa trajetória de formação profissional é conveniente que pensemos em acompanhar esse movimento global, que, de alguma forma temos que nos predispor ao intercâmbio, a compartilhar conhecimento, a nos integrar atuando numa dimensão, não somente local, mas internacional e multicultural. 

Cooperação universitária

Fazer ciência neste século XXI não é exclusivo das universidades, organizações não governamentais possuem equipes de pesquisa em praticamente todas as áreas de conhecimento, a indústria e o agrobusiness já produzem conhecimento específico em seus próprios laboratórios, laboratórios já são empresas particulares e, não raras vezes se unem em “forças tarefas” para desenvolver vacinas ou acelerar diagnósticos, o conhecimento popular de várias culturas já é sistematizado e fonte de pesquisa avançada, enfim, a cooperação é um traço que dá identidade a esta nova era.

A mobilidade acadêmica ingoing e outgoing deu um impulso considerável para a cooperação acadêmica e a internacionalização das universidades. A cooperação não é uma exportação e/ou importação de serviços e produtos acadêmicos, mas ações simultâneas de instituições, compartilhando programas, parcerias em projetos, formando alianças em movimentos e ações comunitárias, desenvolvendo pesquisas com equipes em comum, preparando docentes, discentes e equipes técnico-administrativas para um mundo transnacional, globalmente implicado. Atualmente, a Faccat mantém convênios de cooperação com universidades estrangeiras da Europa e da América Latina e uma política permanente de ampliação destes laços com outras instituições com convênios em andamento.

Competências para o mercado de trabalho multicultural, global e internacional

A nossa preparação profissional, atualmente, está sendo orientada por um mundo com um grau de conectividade cada vez maior e mais rápido, se antes visávamos responder às necessidades e exigências de um contexto regional e nacional, no momento, parece ser insuficiente. A educação, o mercado e as sociedades, em geral, devem dar conta de desafios, demandas globalizadas e transnacionais. Nossas habilidades e competências, acompanhando este fluxo de mobilidade de pessoas, bens e conhecimento internacional, devem apontar, não somente, a se adequar à ecologia local, mas internacional, multicultural.
A organização OCR Worldwide Survey of International Assignment Policies and Practice (Pesquisa Mundial sobre Políticas e Práticas de Designação Internacional) aponta que, nos próximos 5 anos, 30% dos líderes de corporações serão recrutadas globalmente, pois a economia global está totalmente interligada e a cooperação internacional é crítica para o bem-estar econômico mundial. Entender e apreciar como as coisas são feitas nos países ao redor do mundo é crucial para o sucesso, hoje todos devemos apontar a sermos cidadãos do mundo, conversar com diferente, se tempos atrás, ser bilíngue era um diferencial, hoje em dia, é praticamente obrigatório. Não é mais estranho ter um chefe estrangeiro, trabalhar em uma empresa com sede em outro país, ler classificado de emprego de empresa sediada no exterior com filial em sua cidade. O mundo está se transformando em uma grande plataforma de compartilhamento de conhecimento de habilidades para o emprego, compartilha as abordagens e experiências que as organizações internacionais, governos, empregadores e trabalhadores têm encontrado efetivas no fortalecimento das ligações entre educação e treinamento para o trabalho produtivo e decente.

Ambiente universitário multicultural

Um ambiente multicultural é aquele espaço de convívio no qual todos aceitam as diferentes culturas, etnias e religiões presentes. O contato e convívio com o diferente promove o desenvolvimento de uma autoimagem positiva e oferece aos alunos uma oportunidade educacional equitativa, permitindo múltiplas perspectivas e formas de pensar e combatendo os estereótipos e comportamentos prejudiciais.

Uma ecologia de sala de aula multicultural ajuda os alunos a adquirir os conhecimentos e os compromissos necessários para tomar decisões reflexivas e ações pessoais, sociais e cívicas que promovam a vida democrática, preparando-os para uma cidadania global que considere as necessidades de todos os indivíduos independentemente de etnia, cultura, língua, religião, género e capacidades/desabilidades e se interliguem com os processos e conteúdos educativos.

O que é mobilidade acadêmica?

Mobilidade acadêmica é o movimento de estudantes, docentes e até colaboradores técnicos-administrativos que se transferem por um período acadêmico específico, geralmente um semestre ou ano letivo, para outra instituição de ensino superior (nacional ou no exterior) para cursar algumas disciplinas, ou participar em treinamentos, ações voluntárias de extensão ou pesquisa, geralmente, amparados por convênios de intercâmbio entre as instituições envolvidas de forma a validar os créditos, estudos, etc. desenvolvidos durante esse período e incentivados por algum sistema de bolsa e/ou incentivo financeiro.

Mobilidade Incoming ou Outgoing?

Na modalidade Outgoing, os estudantes, docentes e/ou colaboradores de instituição, à qual você pertence, vão para instituições internacionais conveniadas para realizar atividades acadêmicas.

Na modalidade Incoming: os estudantes, docentes e/ou colaboradores, de alguma instituição conveniada no exterior, desenvolvem atividades acadêmicas na sua instituição à qual você pertence.

Por que fazer mobilidade acadêmica?

Há muitos motivos para usufruir da mobilidade acadêmica, mas, provavelmente, a mais destacável seja a necessidade de se adequar às exigências de um mundo global, transnacional, internacional. Agregar a nossa experiência profissional e acadêmica a vivência no exterior é, inegavelmente, um diferencial, sem mencionar o prazer e enriquecimento pessoal de viver uma nova cultura e o melhor que diversas instituições podem oferecer.

Mobilidade acadêmica não é estágio ou intercâmbio no exterior

Às vezes, os conceitos de mobilidade acadêmica, estágio no exterior e intercâmbio são confundidos. A mobilidade não é um simples intercâmbio, pois, para poder participar dela você deve ter cursado, ao menos, 20% do curso, não pode estar no estágio final do curso, ou seja, ter ultrapassado 90% da carga horária. No intercâmbio, você pode realizar cursos em instituições não conveniadas e as disciplinas cursadas podem não ter validade no Brasil, no caso da mobilidade, você só pode cursar disciplinas autorizadas pelas respectivas coordenações dos cursos das instituições conveniadas para, mais tarde, pedir equivalência dos créditos cursados e não é possível realizar estágios no exterior.

O que o programa de mobilidade acadêmica me oferece?

O programa de mobilidade acadêmica da Faccat conveniados com as instituições estrangeiras inclui a possibilidade de realizar o máximo de disciplinas que for possível em 01 (um) ou 02 (dois) semestres, sem necessidade de pagar taxas de matrícula ou mensalidades em nenhuma das instituições durante este período e, garantir a equivalência dos créditos cursados a través da provação a priori das respectivas coordenações dos cursos. O participante do programa de mobilidade acadêmica só deverá se preocupar com os custos de gastos pessoais, deslocamento, documentação, moradia e alimentação.

Quem pode participar do programa de mobilidade?

De acordo com o programa de mobilidade da Faccat, podem participar todos os alunos interessados, de qualquer curso, que tenham cursado mais de 20% das disciplinas e não tenham ultrapassado os 90% dos créditos do curso e que sejam aprovados após a entrevista com os coordenadores do respectivo curso e dos integrantes do Núcleo Faccat Internacional.

Como fazer Mobilidade Acadêmica?

Para poder fazer intercâmbio, entre em contato com o Núcleo Faccat Internacional pelo e-mail internacional@faccat.br e tire as suas dúvidas.

Como faço para candidatar-me à Mobilidade Acadêmica?

Para candidatar-se à Mobilidade Acadêmica os candidatos devem cumprir os seguintes requisitos:
•   Estar regularmente matriculado;
•   Ter integralizado no mínimo 20% e no máximo 80% dos créditos do curso;
•   Ler o edital de divulgação, preencher ficha cadastral e encaminhar ao Núcleo de Internacionalização via setor de Protocolo, assim que obter a aprovação seguir as instruções do Núcleo e da Coordenação do Curso para avaliar e aprovar o Plano de Estudos.

Universidades parceiras conveniadas

Atualmente, a Faccat mantém convênios de parcerias com a:
•  Universidad Católica de San Atonio de Murcia – UCAM -, Espanha;
•  Universidad Tecnológica Nacional – UTN -, Argentina;
•  Universidad Privada Antenor Orrego – UPAO -, Peru;
•  Universidad Católica de Trujillo – UCT -, Peru;
•  Universidad Tecnológica de Chile – INACAP -, Chile;
•  Colorado State University – CSU -, Estados Unidos.

Núcleo Faccat Internacional

O Núcleo Faccat Internacional foi criado pelo diretor das Faculdades Integradas de Taquara, professor Delmar Henrique Backes, no dia 01 de outubro de 2018, considerando a Política de Internacionalização constante do Projeto Pedagógico Institucional.

Atualmente, o Núcleo é formado pelos professores: Cristiane Moro dos Santos, Janete Sander da Costa, Marcos Paulo Dhein Griebeler e Miriam Helena Schaeffer, sob a coordenação do professor Héctor Ariel Báez.
Este Núcleo é o responsável pela divulgação das oportunidades e programas de mobilidade, pelos processos seletivos, ampliação dos convênios e parcerias com outras instituições de ensino estrangeiras, oferecer suporte e orientar os alunos, docentes e colaboradores técnico-administrativos que desejem ou estejam participando do programa de internacionalização, bem como prática ou aprendizado de outras línguas.

faccatinternacional
faccatinternacional
+55 51 35416600
internacional@faccat.br